Amizade por conveniência?

Ainda há poucos meses, se foram 2 já foi muito, tinha uma ‘amiga’ à qual chamei durante 6 anos de melhor amiga… coisa que me arrependi MUITO desde há uns tempos para cá... Ao inicio era tudo muito giro, tínhamos poucas coisas em comum mas dávamos-nos muito bem, estávamos na mesma escola. Na realidade começamos a dar-nos porque por acaso antes de sermos tão amigas eu andava com outras pessoas da mesma escola, mas (para variar um bocadinho) foram falsos ao ponto de me deixar sozinha, mas ela aproximou-se com o tempo e criamos uma grande amizade, ou pensei eu que era amizade… Com o tempo ela foi-se tornando muito “obcecada” com esta tal amizade, tanto que chegava a ter ciúmes de coisas mínimas… Até aí tudo bem, pensei eu, era tudo normal… quando na verdade se tornava algo doentio. O tempo foi passando, muitas discussões e etc.. mas chegou a uma altura em que eu mudei de escola. Criei novas amizades. Deixei de estar tanto com ela por falta de tempo. Ela começou a ter ciúmes de uma amiga minha que ainda hoje (depois de 2 anos) se tornou muito importante, mas disso falarei depois. Ás tantas, no ano a seguir (este ano mesmo) ela mudou-se também para a mesma escola que eu, pois (tirando muitos pormenores pelo meio) ela é mais nova que eu um ano. Este ano foi, sem dúvida alguma, tanto o pior, como o melhor de todos. Porquê? Então veremos… Ela veio para a minha escola, até aí tudo bem… em 3 semanas, 1 mês, não mais que isso, já estava eu, essa minha amiga, e ela a sermos chamadas à direcção… Ela ameaçava a minha amiga, eu comecei a ter ataques de nervos de chegar a vomitar e a chorar mesmo tal eram os nervos. Como fui fraca, continuei a dar-lhe oportunidades, e ela foi aproveitando para me rebaixar, e para conhecer pessoas que eu conhecia apenas porque queria ser social. Depois disto tudo, depois de discussões atrás de discussões eu decidi por um ponto final, e deixei de lhe falar um mês… Infelizmente, depois desse mês, aconteceu uma coisa que me deitou completamente abaixo, a qual eu chorei durante 2 dias seguidos (sem exagero) por tal acontecimento. Ela aproveitou-se e foi falar comigo a “dar-me apoio”, claro, a aproveitar-se para mais uma vez, conseguir o que queria. Infelizmente, para ela, não para mim, por mais mal que esteja, penso sempre com o cérebro, e não com o coração. Mesmo estando a chorar rios e rios, respondia-lhe ás mensagens, sempre a pensar nos prós e contras, pois ela estava a pedir-me uma outra oportunidade, eu dei, mas apenas como conhecida. Porquê? Porque sabia que se não o fizesse ela não me iria deixar em paz. E mais, poderia estragar a vida dos meus amigos. Não quero isso, e tal como ela, sei jogar baixo. Sei que está errado uma amizade por interesse, ou por conveniência que acaba por ser a mesma coisa. Mas depois de me mentir apenas para ter a minha atenção, ameaçar amigas minhas entre muitas outras coisas, seria o mínimo, visto que eu, por mim, sou vingativa, e mesmo assim, dou-lhe sim, outra oportunidade. Se ela voltar ao que era, corto a raiz
 e nada volta a crescer, até lá, veremos no que dá.


Má escolha? Boa escolha? Não sei… Mas não posso viver do passado, tenho de pensar no futuro.
-L-

Sem comentários:

Enviar um comentário