O dia que supostamente seria o melhor do ano...

...que se tornou num misto de sentimentos incrivelmente bipolares.
Amigos chateados porque não podiam ir à festa, e eu tive de mudar os planos todos por eles. Mesmo assim, uns continuam a falar do assunto como se eu tivesse alguma culpa no cartório por eles terem coisas combinadas ou por eu não querer fazer o que ELES queriam nos MEUS anos. Se é normal não sei, mas parte-se do pressuposto que se são os meus anos sou eu que tenho de decidir o que quero ou não fazer… Mas isso sou eu.
Depois a parte dos rapazes…
Fiz um almoço com pessoas da minha turma, convidei também a minha melhor amiga, e o rapaz de quem gosto, que como já disse aqui várias vezes, é o melhor amigo dela…
Por alguma razão, o rapaz que conheci (amigo dela igualmente) com quem falo há uns 3 meses, salvo erro, foi lá ter também. De certa forma acho que eles (ele e o R) simplesmente não se dão mesmo, nem bem nem mal, não se dão. Não sei o porquê, só sei que o R (rapaz de quem gosto) ficou super incomodado com a presença dele.


Resumindo a minha “”história”” com esse tal rapaz que conheci:

Ele estava com a minha melhor amiga numa festa (ou algo parecido) quando eu lhe liguei (a ela) para fazer chamada de grupo com a minha prima, até que passa o telemóvel ao tal rapaz, e ele fala connosco. Depois de desligar-mos a minha melhor amiga manda-me sms a perguntar se pode dar o meu número… Eu, na minha inocência, disse que não havia problema, e a partir desse dia começamos a falar… Encontrávamo-nos quando ia ter com ela e com os amigos dela, pois claro que ele teria de lá estar, era amigo dela…
Digamos que ele se agarrava muito a mim, aos abraços e brincadeiras. Pensei que tudo bem até aí, e então deixei ir, pois sabia que ele tinha namorada e que ele não iria avançar em nada, muito menos eu, que gosto de quem gosto.
E isto tudo para dizer que no meu dia de anos cometi o pior erro que poderia cometer, no entanto teria de o fazer, pois ainda não tinha percebido.
Várias amigas minhas já me tinham dito que o R não estava bem com a presença desse tal rapaz, então eu tentei não estar muito perto dele, no entanto, quando ele chegou, eu quis fazer a prova dos 7 e abraçamo-nos… Ora bem, que bela bosta eu fui fazer… O R ficou “em baixo” (penso que se possa dizer assim) e eu arrependi-me MUITO. Eu gosto dele e não o queria magoar de modo algum…
MAS no meio disto tudo, ele supostamente não sente nem nunca sentiria nada por mim certo?



Então como ficamos?
Confusão total, e como resolvemos isso?
Boa pergunta, pois agora tenho a “2ª parte” da minha festa no f.d.s. e não sei qual deles convidar, pois um, eu quero que vá e o outro queria que fosse mas apenas por ser meu amigo… No entanto não quero magoar nenhum deles se bem que não ache que vá magoar esse tal rapaz…
Enfim, isto foi o meu dia de anos… Interessantíssimo…

Caso não percebam o porquê da situação do R
procurem o texto “Paixão Platónica” e vão perceber.
Obrigada.
-L-


Sem comentários:

Enviar um comentário